<BODY>


Nome:

Email:

Site:

Mensagem:


Digite seu e-mail no campo abaixo e receba gratuitamente as novidades do Kibe Loco!



kibeloco@kibeloco.com.br


Este é um site de ficção e fantasia.
Toda e qualquer semelhança com
fatos e/ou nomes reais é mera coincidência.


Coloque o banner do Kibe Loco
no seu site. Copie o código
abaixo no seu template:

 

3.4.07

 

MÉNAGE E.T.ROIS

Cientistas analisam DNA de extraterrestre humanóide


O contato recente entre um australiano e supostos seres extraterrestres com aparência humana permitiu a realização do que parece ser o primeiro teste de DNA com material biológico exógeno.

Peter Khoury, a vítima do suposto caso de abdução, alega ter passado por uma "experiência profundamente perturbadora" que, segundo ele, mudou sua vida. Khoury teria sido forçado a manter relações sexuais com uma "mulher agressiva, loura e sem pêlos pelo corpo".

Khoury diz que deixou sua esposa no trabalho e, ao voltar para casa, foi surpreendido por duas mulheres inteiramente nuas. "Elas pareciam humanas em todos os aspectos. Uma delas tinha aparência asiática com olhos escuros, cabelo preto e liso caído na altura dos ombros. A outra parecia escandinava, com olhos claros e cabelo loiro e comprido, que ia até o meio das costas". Khoury desconfiou que as mulheres não seriam humanas porque suas formas eram "esculpidas demais".

"A loira parecia ser quem dava as ordens. E elas se comunicavam telepaticamente. Havia algo duro, quase ausente, na expressão delas", disse.

Segundo Khoury, a loira o pegou pela nuca, puxando-o contra os seios dela. Ele ainda tentou resistir, mas a suposta extraterrestre insistiu, exigindo uma reação do australiano. "Ela era muito forte. Me puxou com determinação e a minha boca foi parar em cima do mamilo dela. Então eu mordi".

Khoury disse que apesar de ter arrancado um pedaço do mamilo da loura, ela não gritou. Neste momento a extraterrestre loira se voltou para a outra, com aparência asiática, e esta por sua vez se voltou diretamente para ele exibindo a mesma expressão de choque contemplativo ou confusão que a loira estava.

Involuntariamente, reagindo à expressão das duas, ele engoliu o pequeno fragmento do mamilo que ainda estava em sua boca e este ficou preso em sua garganta. Começando a tossir fortemente. Foi quando, de repente, as duas mulheres simplesmente desapareceram.

Depois disso, Khoury sentiu uma vontade enorme de ir ao banheiro e descobriu dois finos fios de cabelo loiro em volta de seu pênis, que estava dolorido. Quando conseguiu retirar os fios, colocou-os imediatamente num saco plástico selável. "Fiz isso porque tive certeza que algo muito bizarro tinha acontecido comigo", justificou.

Os fios de cabelo, guardados desde o dia do encontro, tornaram-se objeto do primeiro teste aberto de DNA feito a partir de uma evidência de abdução.


***

O que eu acho disso?

- Rapaz... ontem deixei a patroa no trabalho e tracei uma loura e uma japa lá em casa.
- Na sua casa, Peter? Você é louco.
- Obrigado.
- Mas e aí?
- E aí que rolou de tudo. Surubão total. A loura era a mais safada. Estilo sadomasô, sabe? Gostava de dar e de levar umas porradas. Uma devassa!
- E a japa?
- A japa era mais na dela. Devia ser a escravinha da dupla.
- E eram gostosas?
- O quê?!? "Gostosas" é apelido. Eram duas deusas!
- Ah, seu filho da...
- E tem mais!
- Conta! Conta!
- De-pi-la-di-nhas!
- Aaaaaaahhhhh!!! Você é o cara! Depois me passa o contato. Mas valeu a pena?
- Se valeu! Meu amigo, foi coisa de louco. Tô todo dolorido. Parece que saí de uma briga. Escalavrei tanto a chapeleta que ralou geral. Sujou até a cama de sangue.
- Hahahahahahaha!!!
- Só teve um problema: o negócio foi tão bom, que acabei chapando. Nem vi as 'vagadas' indo embora. Só acordei quando ouvi a Jeniffer entrando na garagem.
- Sério? Mas elas roubaram alguma coisa?
- Não, não... a merda foi que a Jeniffer viu as duas saindo lá de casa.
- Mentiiiira...
- Juro.
- E que desculpa você deu?
- Nem pude pensar em uma. Ela ainda me pegou no banheiro tirando cabelo da loura que estava enrolado no meu saco.
- Você é um doente.
- Fazer o quê? As duas eram de outro mundo.
- E sua mulher?
- Ela acreditou.